Um ato contra privatizações reuniu trabalhadores de diversas empresas e serviços públicos no final da tarde de quinta-feira (14), na Praça Afonso Arinos, no centro de Belo Horizonte.

A manifestação, convocada pela Frente Brasil Popular, denunciou a política de privatizações do governo golpista de Michel Temer, que anunciou recentemente à venda de de 14 aeroportos, 11 lotes de linhas de transmissão e 15 terminais portuários, além de rodovias, da Casa da Moeda, da Lotex e da Companhia Docas do Espírito. Também foi denunciada a venda de ativos da Petrobras, o leilão das usinas da Cemig e a privatização dos Correios.

Professores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG) também participaram do ato, inclusive com paralisação das escolas. Eles são contra os cortes orçamentários feitos pelo governo Temer.

O ato desta quinta-feira foi parte da Campanha em Defesa dos Serviços Públicos e Contra as Privatizações, lançada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) Minas e sindicatos filósofos no final do mês de agosto. Ele também aconteceu em outros estados do País.