Um balanço divulgado pela Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte (Belotur) registrou que o carnaval da capital mineira reuniu 3 milhões de foliões. A estimativa inicial era ter 2,4 milhões de pessoas nas ruas da cidade, das quais 500 mil turistas e o restante, moradores locais. A contabilidade da Belotur foi feita por dia. Ou seja, se uma pessoa foi às ruas em quatro dias distintos, foi considerada como quatro foliões.

Com estes números, Belo Horizonte confirma o carnaval deste ano como o maior de sua história. Oficialmente, o período da folia foi de 11 de fevereiro até quarta-feira (1º). Foram 416 desfiles, organizados por cerca de 350 blocos de rua.

A programação também teve apresentações de escolas de samba e de blocos caricatos, com o carnavalzinho voltado para crianças e com shows divididos por quatro palcos espalhados pela cidade.

Para dar conta do público, a prefeitura de Belo Horizonte aumentou a estrutura e os recursos humanos em relação ao ano passado. Foram disponibilizados 10 mil banheiros químicos. Na segurança, trabalharam 2 mil guardas municipais e 2,7 mil policiais militares.

Também estiveram nas ruas cerca de 9,4 mil ambulantes credenciados para a venda de bebidas, número quase três vezes superior ao registrado em 2016. Para melhorar o deslocamento dos foliões, a Empresa de Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) reforçou o atendimento das linhas de ônibus.

Ocorrências policiais

A Polícia Militar de Minas Gerais também apresentou um balanço das ocorrências na capital mineira no período do carnaval. Segundo a corporação, o número de incidentes foi pequeno. Em comparação com o carnaval de 2016 houve redução de 43% na criminalidade violenta. No ano passado, foram 874 ocorrências desse tipo e, neste ano, 499. Os roubos também caíram, passando de 825 para 481.

Houve ainda registro de três homicídios. Em 2016, foram 14 no mesmo período, o que representa queda de 80% neste ano. O levantamento revela também queda de 25% no furto de celulares, crime que geralmente ocorre em ambientes de aglomeração em relação à folia do ano passado.

Em todo o estado de Minas Gerais, a criminalidade também caiu. A ocorrência de crimes violentos foi 27% menor do que no carnaval do ano passado.

Menos acidentes

A Polícia Militar Rodoviária também divulgou números de acidentes de trânsito no estado de Minas Gerais. Entre 24 de fevereiro e quarta-feira (1º), ocorreram 389 acidentes com 424 pessoas feridas e 21 mortos, o que representa uma redução de 10% nos acidentes fatais em comparação com o ano passado. Foram 18 ocorrências deste tipo, contra 20 de 2016. O número de óbitos, porém, se manteve. Tanto em 2016 quanto este ano, 21 pessoas morreram em acidentes de trânsito.

Também foram feitas nas estradas mineiras 423 operações Lei Seca. O teste de etilômetro foi aplicado 5.325 vezes e 92 motoristas foram presos por embriaguez ao volante.