Representantes de diversos movimentos que compõem a Frente Mineira em Defesa da Cemig fizeram um ato na última sexta-feira (15) na Usina Hidrelétrica de Jaguara, em Sacramento, na região do Alto Paranaíba. Também na ocasião, a Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais fez uma visita à empresa

A mobilização foi contra a venda de quatro usinas da companhia mineira, ameaçadas de serem levadas a leilão pelo governo de Michel Temer. Além disso, a própria empresa e também os movimentos organizados pela Frente estão recorrendo à Justiça para manter o controle das usinas com a estatal.

Segundo o coordenador geral do Sindicato dos Eletriciários de Minas Gerais (Sindieletro-MG), Jeferson Silva, se ocorrer, o leilão de venda das usinas trará grandes prejuízos para o meio ambiente e para a economia do Estado, além de acarretar um aumento na conta de luz dos consumidores.

A Frente, formada por deputados, prefeitos, Ministério Público, sindicatos, movimentos sociais, e representantes de setores econômicos, tem feito uma série de mobilizações contra o leilão, denunciando a irrresponsabilidade da operação para tirar as usinas das mãos da Cemig.

Na última terça-feira (12), a Frente Mineira em Defesa da Cemig se reuniu com o presidente da empresa, Bernardo Salomão, para discutir sobre o ato contra a privatização das usinas da Cemig.

 

Leia também:

Movimentos acampam na Usina de São Simão e fazem escracho a investidores estrangeiros

Governo de Minas e Cemig lançam campanha contra leilão de hidrelétricas

Ato em defesa da Cemig pressiona Governo Federal contra leilão de usinas

Frente em Defesa da Cemig faz ato na Usina de Miranda

Plataforma Operária e Camponesa promove seminário sobre leilão das usinas da Cemig

Lideranças vão a Brasília contra leilão de usinas da Cemig

 

*Com informações do Sindieletro-MG