Nesta terça-feira (6) completam três meses da operação do Ministério Público Federal e da Polícia Federal na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ironicamente chamada “Esperança Equilibrista”, a operação invadiu a universidade e culminou na condução coercitiva dos três últimos reitores e vice-reitores.

O Conselho Universitário e toda a comunidade da UFMG reagiram com veemência à operação, cujo início foi marcado pela espetacularização, pelo abuso de autoridade e pelo desrespeito a direitos constitucionais de nossos reitores e companheiros servidores.

Por isso, o movimento "Professorxs da UFMG em Luta: Agir e Construir" alerta que a operação continua, mas a luta também! "Claramente motivada por uma campanha que tenta desmoralizar as universidades públicas, a “operação Esperança Equilibrista” é também um ataque contra todos aqueles que lutam para garantir às futuras gerações o conhecimento sobre os horrores vividos pela população brasileira durante a ditadura militar entre 1964 e 1985".

Nesta terça-feira, o grupo realiza um ato em defesa da UFMG e do Memorial da Anistia entre 13 às 14h, no gramado situado em frente à Reitoria da Universidade, no campus Pampulha.

Ato em Defesa da UFMG e do Memorial da Anistia
Onde: gramado situado em frente à Reitoria da UFMG, no campus Pampulha (Avenida Presidente Antônio Carlos, 6627, Pampulha - Belo Horizonte)
Quando: 6 de março de 2018, entre 13h e 14h
Mais informações: https://www.facebook.com/events/213020249437821/