contatoFacebookTwitter

Mundo do Trabalho

10/04/2017
Sem terra são baleados em fazenda ligada ao ex-prefeito Ruy Muniz
por *Com informações do MST
Foto: MST/Divulgação

Integrantes do acampamento Alvimar Ribeiro foram recebidos a tiros por pistoleiros nesse domingo (9) na sede da Fazenda Norte América, em Capitão Enéas, no norte de Minas Gerais. Segundo o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), alguns militantes da causa se dirigiam para uma reunião com o administrador da fazenda, por volta de 7h30 da manhã, quando foram surpreendidos por vários jagunços armados.

Ainda segundo nota do movimento, houve um tiroteio e várias pessoas ficaram feridas. Algumas das vítimas relataram que o próprio latifundiário estava dirigindo sua caminhonete Hilux enquanto os pistoleiros atiravam por sobre da carroceria.

Segundo Géssica Thais Gonçalves Freitas, de 24 anos, que levou um tiro na perna, o fato tratou-se de uma emboscada e que os 300 sem terra presentes estavam desarmados. “O administrador da fazenda insistiu por uma reunião e nós acabamos aceitando. Ao chegar à cancela, fomos recebidos a bala por cerca de dez jagunços. Eles atiraram sem dó nem piedade. Tinham crianças, idosos, grávidas. Nós vimos o dono da fazenda no lugar. Pedimos pra não atirar. Abaixamos pra não sermos baleados, foi uma covardia”.

Entre os feridos estão Fabrício Alvins Lima, de 31 anos, baleado na barriga, e Vildomar Oliveira Gomes, também de 31 anos, baleado no pescoço. Outras pessoas foram atingidas com tiros de raspão, entre elas uma criança de dez anos, ferida no rosto. A Polícia Militar esteve no local colhendo depoimentos dos envolvidos e uma investigação será aberta.

A ocupação

A fazenda Norte América tem 3 mil hectares e, segundo o MST, era improdutiva. Ela foi ocupada em janeiro deste ano e pertence ao grupo Sociedade Educativa do Brasil (Soebras). Atualmente, há 650 famílias acampadas no local e já produzindo.

Leonardo Andrade, sócio do ex-prefeito de Montes Claros, Rui Muniz, se identificou como proprietário da área e se dispôs a vender as terras ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Este deveria destiná-las à criação de um assentamento. No entanto, a morosidade do Instituto permitiu o acirramento do conflito instalado.

Para Ênio Bohnenberger, da Direção Nacional do MST, tais conflitos são causados pela falha do Estado. “A violência no campo se alastra na medida em que o Estado se omite em relação à Reforma Agrária. Mas, atualmente, a situação é muito pior, pois é promovida pela aliança entre o governo golpista de Michel Temer e as bancadas da bala e do boi”.

A sociedade entre Leonardo Andrade e Ruiz Muniz

A Soebrás é uma das várias entidades filantrópicas ligadas a Ruy Muniz que estão sob investigação por desvio de recursos federais e da prefeitura de Montes Claros. O ex-prefeito e alguns de seus sócios foram já foram detidos em 2016. Um deles é Leonardo Andrade, que ocupava o cargo de secretário de Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente e Agricultura na prefeitura.

Há indícios de que a fazenda era utilizada por Rui Muniz e seus sócios, para lavagem de dinheiro. A área possui uma dívida milionária e foi arrematada pelo grupo Soebrás, porém, nunca foi paga.

Ruy Muniz foi preso em 2016 no dia seguinte à votação do impeachment da presidente Dilma Roussef. Na ocasião, sua mulher, a deputada federal Raquel Muniz, dedicou o voto à integridade moral do marido afirmando que “o Brasil tem jeito e o prefeito de Montes Claros mostra isso para todos nós, com sua gestão. Por isso, eu voto sim, sim, sim”.

Atualmente, ele responde a processo acusada de estelionato, falsidade ideológica, prevaricação e desvio e/ou apropriação de recursos públicos.

Comentários

Encontre-nos

  • Belo Horizonte - Minas Gerais
Receba Nossa Newsletter